Seguidores

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

Saudade...mas quanta beleza!!!...




 Imagem  da net
 Que saudades eu sinto desta flor,
Que vai murchar!
E desta gota de água e de esplendor,
Um pequenino mundo que é só mar.
E desta imagem que por mim passou
Misteriosamente.
E desta folha pálida e tremente
Que tombou...
Da voz do vento que me deixa mudo,
E deste meu espanto de criança.
Que saudades de tudo eu sinto, porque tudo
É feito de lembrança...

Teixeira de Pascoais

10 comentários:

manuela barroso disse...

Minha querida,
Quando se abre o teu blog,sente-se o calor da tua bondade e grandeza de alma que conheço há tantos anos!
Saudades, são os espinhos que nos fazem viver com a esperança de voltarmos a encontrar. " Que saudades eu sinto desta flor,
Que vai murchar!" Que coisa mais linda e de tão extensa leitura! Sabes Beatriz, a flor que nos enleva e que é uma pálida imagem da perfeição da Criação, viva, linda viçosa, também ela um dia vai partir, deixar saudades. O pior é que nem tempo temos muitas vezes de usufruir a sua beleza. E se deixarmos saudades é sinal que não morremos. Dormimos!
Terno abraço, minha querida

Anne Lieri disse...

Beatriz,vim retribuir sua visita mas muito mais ler suas poesias e conhecer seu blog.Achei muito lindo!Parabéns pelo bom gosto!Obrigada por tão bela poesia em meus comentários!Bjs e meu carinho,

Beatriz Bragança disse...

Fico com o meu coração em êxtase, ao ler os teus comentários tão belos e profundos!Escreves tão bem, de uma maneira tão poética! Aliás,tu,mesmo quando escreves em prosa, é sempre prosa poética.
Mas sabes? Esta 5º feira vou matá-las(às saudades) e foi por convite expresso e insistente.Deus é muito meu amigo,mesmo muito, muito.
Obrigada pelas tuas palavras. Ficam sempre guardadas no meu coração.
Aquele abraço
Beatriz

Leninha disse...

Beatriz,

Vim te fazer uma visita e me encantei com o seu blog, suas postagens e a beleza desta tão pungente saudade.
Gostei de te ver em meu "Sonhos e Encantos" e me deliciei com a ternura de tuas palavras...
Quanto às galinhas "surrupiadas", eram do galinheiro da minha casa na fazenda e meu sogro nutria um grande aprêço pelas mesmas, rsrsrs...mas acabava dando risada quando descobria o acontecido.Fazer o quê, já estava feito, não é mesmo?

Bjssssss,
Leninha

Beatriz Bragança disse...

Querida Leninha
Fico muito contente quando as pessoas gostam.
O que eu quero mesmo, é dar a quem me lê, a oportunidade de pensar um pouco mais em tudo o que acontece no nosso dia a dia. Encontraremos, por vezes, o mesmo assunto sob outra forma.
Beijinhos
Beatriz

manuela barroso disse...

Quanta ternura!
E ainda vais conhecer mais desta encantadora Leninha, Beatriz
Abraço queridas!

Anne Lieri disse...

Beatriz,não pude deixar de vir agradecer seu comentário poético em meu blog!Estou juntando essas poesias das amigas e irei fazer uma postagem de todas depois!Obrigada!Bom reler essa beleza de poesia que escolheu!bjs e meu carinho,

Sonhadora (RosaMaria) disse...

Minha querida

Passando para agradecer a sua presença carinhosa no meu blogue e fiquei encantada com a paz que se respira aqui e como amiga da Manuela é de certeza uma pessoa sensível.
Voltarei mais vezes e com mais tempo, foi um prazer.

Um beijinho com carinho
Sonhadora

Beatriz Bragança disse...

Minha querida Rosa:
Muito obrigada pela visita e por se sentir bem no meu blog. É isso mesmo que pretendo-PAZ para todos.
Um terno abraço com votos de um bom fim de semana da
Beatriz

Dorli disse...

Oi Beatriz
Saudade dói, dilacera nossos corações e nos adoece.
Linda postagem
Lua Singular