Seguidores

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

A Amizade

Do latim amicitia, provém esta palavra Amizade que,quando verdadeira, significa afeição por uma pessoa e, segundo os eruditos,é « o amor de benevolência retribuído(...) que desconhece em absoluto o egoísmo». Alves de Oliveira diz que « são, pois, elementos essenciais da verdadeira Amizade,a generosidade e o desinteresse num clima de retribuição desinteressada e generosa».
« Entre os Gregos, a Amizade que se funda no bem e na virtude é a mais perfeita.(...). A Amizade leva à comunidade de vida, trazendo consigo a igualdade social e uniformidade de sentimentos».
Que pena! Os nossos políticos não estudaram a civilização grega que,( na década de 50 e 60, pelo menos) fazia parte do programa da disciplina de História. É que todos,mesmo todos,sem exceção,esqueceream o que então aprenderam.Ou não lhes convém lembrar... Pois, esse feudo constituído por todos eles, tem uma memória muitíssimo curta, tanto assim que agora dizem uma coisa, para, passado pouco tempo, dizerem outra.E, no que se refere a igualdade social, só pensam: para que te quero? Estes senhores feudais do séculoXXI possuem todas as regalias e o povo,algum, já passa fome. São verdadeiros robots, sem nenhuma espécie de sentimentos. Só ganância!... Nenhum político quer perder as suas regalias, mas, se possível,aumentá-las. Vão ao bolso do Povo e continuam a viver faustosamente. E ainda dizem que não sabem por onde cortar na despesa!!!...Isto seria hilário,se não fosse dramático e, até trágico (quando temos conhecimento de que alguém foi encontrado morto em casa,por nada ter para comer!).
Isto revolta, sobretudo para quem, ao longo da vida, conseguiu sobreviver psicologicamente sã, graças às amigas verdadeiras que a rodearam. Cícero chamou à Amizade « o sol da vida». « Todos os bens são caducos, só a Amizade é perdurável. Só quem experimentou e, felizmente, ainda vive a Amizade verdadeira, sabe o que ela representa: a harmonia, a estabilidade e a constância».
Que bom é ter quem nos ouça, console, estimule e aconselhe nas horas de aflição, que, por vezes, são muitas e intermináveis. «Nada existe tão humanamente grande e perdurável como a verdadeira  Amizade».
Obrigada, minhas amigas verdadeiras, por me terdes acompanhado durante décadas e me terdes mantido, ainda que às vezes «morta por dentro, mas de pé, como as árvores.
Jean de la Fontaine disse: Como é doce ter um verdadeiro amigo! Ele procura o que vos falta, lá no vosso coração, poupando-nos a confusão de lho revelardes por vós próprios.

4 comentários:

manuela barroso disse...

Minha querida,

Fiquei enternecida com a tua tão maravilhosa postagem. Só quem tem um coração e uma grandeza de alma igual à tua é que sabe o quanto falas verdade.E estou totalmente de acordo contigo. Os amigos/as são uma segunda família.Sabemos disso. Palavras, tantas te diria, mas serão simplesmente ruído perante o que o coração sente.A amizade é quase uma dádiva de alguns!
Obrigada pela tua amizade de tantos e tantos anos minhaquerida amiga Beatriz!
Terno abraço

Beatriz Bragança disse...

Gosto imenso,sinto um enorme prazer em ler os teus comentários.Quando abro o computador, penso cá para mim:Qual vai ser a surpresa de hoje?!A tua escrita é profunda e preenche muitos vazios.A nossa amizade já era grande,mas este blog operou uma qualquer mudança que não sei explicar.Obrigada pela ideia e pela insistência.Era mesmo de algo assim que eu estava a precisar.
Toda a minha ternura
Beatriz

Dorli disse...

Oi Beatriz
No atual mundo que vivemos ter um amigo de verdade é ganhar na mega sena sozinho.
O mundo está muito mal e, salvam-se poucos.
Beijos
Lua Singular

Humberto Maranduva disse...

Viva, de novo!

Pois, que seria da humanidade se não fosse a singular particularidade tão caracteristicamente inerente à nossa espécie, como o é a da amizade. Mas, cuidado: também existem falsos amigos - os interesseiros, como é o caso dos políticos, como tão bem referes no teu texto; os cínicos, que apenas nos procuram para nos parasitar psicologicamente, em obediência a uma motivação, ou melhor, a um móbil inconsciente de identificação projectiva negativa, marcadamente evacuativa, porque se alimentam de um certo sado-masoquismo deprimente e redutor.
Enfim, pensemos, no entanto, nos bons amigos e no "élan" que a saudável convergência dos afectos pode e deve sempre proporcionar.
Beijinhos