Seguidores

quarta-feira, 1 de abril de 2020

SOBRE O NOVO CORONA - VÍRUS

Pede-me o meu irmão Manuel, que escreve com o pseudónimo de Humberto Maranduva, no Blogue Angulus Ridet, que lhe publique este texto, esperando uma mais ampla divulgação (segundo ele).
Imagem do Google
Num momento tão sensível e ambíguo como o actual (Primavera de 2020), em que um vírus invisível (novo Corona-vírus) ameaça a sobrevivência da espécie humana, a nível planetário, não pode haver lugar ao desdobramento das subjectividades tão típicas da diversidade conceptual cultivada pelos indivíduos ou grupos; às suas idealizações narcisistas, egocêntricas ou auto-eróticas; às interpretações divergentes; ao individualismo; às acções isoladas; ao erguer patético de uma Babel dessignificada.

Se o valor da Vida não for tido em conta como o primeiro e o mais importante, então, toda a saga civilizacional, ainda que considerando todas as suas oscilações mais ou menos demenciais, terá chegado ao seu ponto de oclusão. No âmbito  realista da interpretação do Mundo, tal como ele se nos apresenta, devemos tentar compreender, aceitar, apoiar e validar o esforço hercúleo da Ciência médica e social, no sentido da tentativa de percepção, interiorização, harmonização, correcção e inversão deste surpreendente ataque à manutenção da Vida.

Sob o ponto de vista da investigação teórica e da sua consequente metodologia programática e pragmática, o paradigma deve assentar na arquitectura da racionalidade científica, através da convalidação do empirismo evolutivo (método científico), isto é, sempre ancorado em resultados práticos verificáveis. Estes, contudo, devem afirmar-se por meio de modelos analíticos, qualitativa e quantitativamente aceites, capazes de satisfazer os valores da Vida social saudável e as necessidades legítimas do colectivo.

Neste quadro, têm de ficar fora de questão os conflitos sociais, a subjectividade, particular ou grupal, a ambição, a ganância e as tensões de poder, para que sejam possíveis a ordem, a uniformização dos valores fundamentais (universais) e a reposição das condições de manutenção de Vida. Sendo assim, o foco é apenas um, precisamente porque, tanto serve ao indivíduo em particular, como à Sociedade em geral.

Como escreveu Emmanuel  Lévinas (1980), estamos primordialmente vinculados ao Outro, mesmo que essa experiência tenha ocorrido para uma consciência pré-reflexiva. Este elo ao Outro é estrutural e estruturante para o sujeito; matar o Outro é cometer suicídio. Continua, afinal, a estar tudo nas mãos do Homem!

HUMBERTO MARANDUVA

20 comentários:

" R y k @ r d o " disse...

Olá:- Onde posso assinar?
,
Saudações de esperança

Elena M disse...

Interesting post my dear, thank you for sharing ) 

Leninha Brandão disse...

Excelente texto e repito a pergunta do Ricardo Valério:
Onde posso assinar?

Mariazita disse...

Querida Beatriz
O que me traz, hoje, é agradecer a sua presença na minha "CASA", e as suas palavras, sempre gentis.
Uma das coisas que mais me agrada, presentemente, é escrever, só comparável ao prazer da leitura. Gosto de "construir" personagens, dar-lhes vida, moldá~las.
Saber que esse trabalho é apreciado é muito prazeroso.

Muito, o texto do seu irmão.

Continuação de boa semana.
Beijinhos
MARIAZITA / A CASA DA MARIQUINHAS


Kangkuru disse...

Thank you, my friend, for reading your good and interesting article, please keep coming up with good and meaningful posts.

Kangkuru disse...

Friv 5
Friv 4
Friv 3
Friv 10000000
Friv 2
Friv 6
Kizi 5
Y8Game
Friv 2

lis disse...

Oi Beatriz
Sempre bom ler algo que nos ajude a entender um pouco como a Sociedade deve se precaver diante de uma crise existencial.
Confesso que entendi pouco do texto, com uma linguagem mais técnica _mas entendi e concordo que o valor da vida é de fundamental importância, sempre.
E, certamente obedecendo a Ciencia Médica.
Acima dos médicos , temos o Deus de cada um e a Ele devemos recorrer, com Fé e certeza de melhores dias.
Abraço, Beatriz

lua singular disse...

Oi Beatriz,
Seu irmão escreve tão bem quanto você.
A maior peste que existe no mundo é ter sua mãe internada com tuberculose, que na época não havia cura.
Não tinha cura, mas ela era tão esperta que sobreviveu pra me contar.
Foi horrível!
A única que não morreu. Por que?
Eu sei, mas morre comigo.
Beijos no coração
Lua Singular

chica disse...

Texto lúcido, cheio de verdades escrito pelo teu irmão! Valeu compartilhar! beijos, tudo de bom! Fica bem! chica

SOL da Esteva disse...

O valor da vida é precioso.
Matar ou assassinar ter por significado o suicídio, apenas quer dizer que o Mundo vai de mal a pior e, parece, já não tem cura.
A Moral deixou de existir como tal.
Um excelente Post.
Parabéns a ambos.



Beijo
SOL

Roselia Bezerra disse...

Bom dia de saúde e paz, querida amiga Beatriz!
Possa a estrada levantar-se para encontrá-lo. Possa o vento estar sempre às suas costas.
Possa o sol brilhar quente em seu rosto, as chuvas caírem macias em seus campos, e até que nos encontremos outra vez...
possa Deus tê-lo mansamente na palma de Sua Mão”.
Benção irlandesa
😇
Emocionadissima com este post alerta.
Que percepção!
Beatriz querida, havia me esquecido de imediato que o Sr. Humberto era seu irmão. Vou passar por lá também.
Sejamos todos por um ou seremos pó!
Sem palavras...
Tenha final de semana abençoado e na proteção do mal!
🙏🙏🙏
Bjm carinhoso e fraterno de paz e bem
💐😘

Lucinalva disse...

Olá Beatriz
Texto interessante, obrigada pela visita ao meu blog, gostei muito. Abraços.

Luísa Fernandes disse...

Olá querida Beatriz!
Um texto interessantíssimo, que nos convida à reflexão do ser humano e do que poderá acontecer... todos estamos no mesmo barco e a dúvida permanece. Gostei imenso de ler.
Obrigada amiga pela sua visita e amáveis palavras.
Cada poeta tem a sua inspiração e toque de magia, o vício
dá-lhe cor e dá azo à fantasia.
Um bem haja, por ter vindo.
Beijinho de paz e bênçãos de Jesus.
Luisa


Marina Filgueira disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Marina Filgueira disse...

¡Hola Beatriz!

Nos dejas un texto que da mucho para reflexionar, este mundo tiene que dar un gran cambio para mejorar muchísimas cosas que no se están haciendo bien o, mejor dicho, ¡se hacen muy, muy mal!
La naturaleza es sabia y nos está dando una buena lección de vida.

Gracias por compartir este buen post

Te dejo mi gratitud y estima.
Un abrazo fraterno y bendiciones

manuela barroso disse...

Num mundo cada vez mais roborizado , o Homem, ele próprio se robotiza perante as exigências actuais e a nível planetário .
A ganância é o caminho onde ele se vai suicidando , corroendo e demolindo glaciares pouco alcançáveis .
Mas eis que tudo para : nunca os pássaros tiveram tanto espaço , tanta liberdade .
A Terra pede o equilíbrio.
Tudo tende a mover -se com a Harmonia do Criador .
Se as pestes são cíclicas , alguma “inteligência “ despoleta o alerta para TUDO ficar em sentido .
Para que tudo se renove .
Um texto com o estilo do teu irmão deixando a sua marca sempre profunda e reflexiva .
- Parabéns Zé Manuel!
Minha ti , minha sempre e tão querida amiga Beatriz, o nosso abraço com imensas saudades 🌷

Chris Ferreira disse...

OI Beatriz, ótima divulgação do texto do seu irmão. Estamos em uma fase muito difícil e preocupante. Precisamos pensar no coletivo, no outro, em agir com responsabilidade e acreditar no que os médicos e pesquisadores falam. Acima de tudo respeitar a vida do ser humano acima de tudo.
Gostei muito da frase do final do post.
beijos
CHris


Inventando com a Mamãe / Instagram  / Facebook / Pinterest


Tais Luso de Carvalho disse...

Beatriz, querida, esse texto é tão perfeito que só pode ter vindo de seu irmão, Humberto Maranduva. Perfeito!

"Neste quadro, têm de ficar fora de questão os conflitos sociais, a subjectividade, particular ou grupal, a ambição, a ganância e as tensões de poder, para que sejam possíveis a ordem, a uniformização dos valores fundamentais (universais) e a reposição das condições de manutenção de Vida. Sendo assim, o foco é apenas um, precisamente porque, tanto serve ao indivíduo em particular, como à Sociedade em geral."

Beijos! Cuidem-se.

chica disse...

Beatriz, agora vou seguir pelo email. Vamos ver se dará certo! bjs

M. disse...

Querida Beatriz,
excelente a reflexão do seu irmão! A ver vamos como isto acaba...
Beijinhos e boa semana!